Notícias

21/11/2018 - TecMundo

Homens caem em golpes online três vezes mais do que mulheres


Por: Felipe Payão

Os homens são alvos mais fáceis de serem enganados do que as mulheres, é o que mostra o Relatório da Segurança Digital no Brasil, divulgado recentemente pelo dfndr lab, laboratório da PSafe. Apenas no terceiro trimestre de 2018, o laboratório detectou mais de 33 milhões de golpes via WhatsApp que foram recebidos ou acessados por homens, um número 3,3 vezes maior do que registrado entre mulheres (10 milhões).

Esses golpes, explica a PSafe, são conhecidos como phishing via app de mensagens e oferecem uma “isca” (promoção, vagas de emprego, cartão de crédito, etc) para chamar a atenção do usuário. Ao clicar no link malicioso, a vítima é redirecionada para um site falso que pode roubar dados pessoais, dados bancários, instalar um malware ou, ainda, lucrar com os acessos através de publicidade. Phishing via WhatsApp segue sendo a categoria com maior volume de detecções no trimestre, representando 38,2% do total.

Na divisão por gênero do número de detecções dessa categoria, os homens são responsáveis por 76,1% enquanto que as mulheres representam 23,9%.

Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, afirma que “o WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais utilizado por cibercriminosos por ter um número expressivo de usuários no Brasil e por gerar uma rápida disseminação dos links entre os usuários”.

Para se proteger de ameaças como essas, Emilio Simoni destaca que é fundamental adotar medidas de segurança. “Desconfie de links recebidos através de aplicativos de mensagem, especialmente os que são compartilhados por desconhecidos. Se o link suspeito cita uma marca, seja divulgando uma promoção ou vaga de emprego, por exemplo, é recomendável verificar no site oficial da empresa para saber se a informação recebida é real ou em sites como o dfndr lab, que indica se uma página é verdadeira ou não. No entanto, para ficar totalmente protegido, é importante que o usuário tenha sempre um antivírus instalado no celular”, indica Simoni.



AVISO: O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. A DEALL R&I, divisão do IBRACAF Ltda., não avaliza as informações contidas neste artigo nem se responsabiliza por elas.